Não raro, essa vida de programador nos leva a enfrentar algumas peleias bravas. Hoje durante testes de um software desenvolvido pela empresa aonde trabalho o aplicativo começou a apresentar um comportamento estranho (entenda-se SIGSEGV). Obviamente, a primeira reação foi abrir o gdb, rodar o aplicativo e analisar o backtrace. Este, entretanto, mostrava-se incapaz de localizar o problema tornando o problema particularmente interessante. Resumindo, depois de alguns bons minutos quebrando a cabeça, foi possível identificar que o problema era *muito* mais simples do que parecia ser: numa determinada parte do código existia 1 mísero byte sendo escrito a mais.

Deixe uma resposta