Pessoalmente eu acho o formato RPM uma maneira bastante prática de distribuir softwares¹ para Linux, especialmente quando o aplicativo tem que ser distribuído em formato binário e não é possível distribuir os fontes. Se você, ainda não distribui seu software em formato RPM, dê uma lida no RPM Guide e no Maximum RPM e veja como é facil.

¹ Estou falando especificamente de software proprietário, de caixinha, que muitas vezes é distribuido em vários formatos absurdos e sem qualquer integração com o SO.

Deixe uma resposta