O JBang é uma aplicação que permite executar códigos em Java sem a necessidade de compilar diretamente o código e/ou criar projetos usando Maven ou Gradle. Simplificando, o JBang traz para o Java a agilidade dos scripts em Shell ou Python com o poder e a flexibilidade do Java.

O JBang pode ser instalado facilmente usando o SDKman!:

sdk install jbang

Uma vez instalado, você pode gerar um projeto a partir de um template padrão:

jbang init -t cli hello.java

Como resultado desse comando, ele irá criar um arquivo hello.java com um conteúdo parecido com o seguinte:

///usr/bin/env jbang "$0" "$@" ; exit $?
//DEPS info.picocli:picocli:4.5.0

import picocli.CommandLine;
import picocli.CommandLine.Command;
import picocli.CommandLine.Parameters;

import java.util.concurrent.Callable;

@Command(name = "hello", mixinStandardHelpOptions = true, version = "hello 0.1",
        description = "hello made with jbang")
class hello implements Callable<Integer> {

    @Parameters(index = "0", description = "The greeting to print", defaultValue = "World!")
    private String greeting;

    public static void main(String... args) {
        int exitCode = new CommandLine(new hello()).execute(args);
        System.exit(exitCode);
    }

    @Override
    public Integer call() throws Exception { // your business logic goes here...
        System.out.println("Hello " + greeting);
        return 0;
    }
}

Algumas particularidades interessantes do arquivo acima:

//DEPS org.grupo:dependencia:${dependencia.versao}

O JBang permite gerenciar dependências de diversas maneiras, a mais comum sendo através desse tipo de linha de configuração (modeline) precedida por //DEPS.

As dependências são referenciadas através da nomenclatura GAV (grupo, artefato, versão) no formato: G:A:V. Além disso é possível tanto usar BOM POMs para facilitar o gerenciamento de versões quanto trocar a versões fixas no código por propriedades que podem ser passadas por linha de comando:

//DEPS org.grupo:dependencia:${dependencia.versao}

Tornando possível executar o projeto usando algo semelhante ao seguinte:

jbang -Ddependencia.versao=2.0.1

Outra particularidade muito interessante do JBang é o uso do projeto PicoCLI para o gerenciamento das opções de linha de comando, o que permite tornar o script bastante flexível de maneira bastante elegante e direta.

Para executar esse arquivo você pode rodar:

./hello.java

ou

jbang run hello.java

Ao executar qualquer um dos comandos acima, temos o resultado esperado que é a impressão da famosa mensagem “Hello World”. E claro, também podemos brincar com a PicoCLI para mudar parte da mensagem:

jbang run hello.java --gretting Mundo!
Hello Mundo!

Obviamente essa é só uma introdução bastante simples sobre o JBang. A capacidade de utilizar as inúmeras bibliotecas reutilizáveis que temos disponíveis em Java, torna o projeto bastante interessante para desenvolvedores com a necessidade de automatizar tarefas e que, talvez, não se sintam confortáveis com Shell Scripts. Além disso pode ser uma plataforma extremamente interessante para desenvolvedores iniciantes, pois remove a necessidade de gerenciar os projetos com Maven ou Gradle.

Deixe uma resposta